Banner

Pesquisar

Carregando...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O destino é o único culpado

Coitado do Brasil! É muita falta de sorte! Parece que no nosso país (rsrsrs) até o destino conspira contra a decência politica, conspira contra a honradez e os bons costumes sociais. Basta uma voz se levantar contra a malfadada sorte do Brasil, os tantos corruptos e...vem o destino e...cala essa voz. Vejam a ação do destino no caso Celso Daniel, morreram, este e mais oito. o que faz pensar que o destino é um grande conspirador, um grande agente do mal que fica na espreita esperando a melhor oportunidade de calar o Brasil e suas aspirações de extirpar do meio politico, tantos ladrões, cafajestes e indivíduos capazes de tudo, como já foi dito por alguns.
Há de se lamentar essa tanta mal sorte, essa maneira do destino agir de forma tão satisfatória para a manutenção das mazelas que assolam essa tão azarada nação. Por culpa desse destino, tão perverso e cruel, já perdemos alguns grandes valores nacionais, sendo exterminados por ele, pelo nefasto destino, todos aqueles que, de uma forma ou de outra, estavam estritamente ligados a grandes eventos políticos nacionais com sérias consequências para muitos, mas que sorte desses ...muitos!! É o destino, não tem outra explicação. Lembram o caso do Marechal Castelo Branco? Por ação do destino, um desastre aéreo e... a morte. Ulisses Guimarães, outra vez o cretino destino, um desastre aéreo e...morte. Eduardo Campos, um desastre aéreo e... morte. Mas, esse mesmo destino, para não traumatizar a população por tantos acidentes aéreos, usou de outros meios, por exemplo, de forma inexplicável, um acidente de trânsito matou JK. Esse mesmo famigerado e cretino destino, usou de uma "diverticulite explosiva" (questionada até os dias de hoje) e, outra morte, Tancredo Neves e, agora, dando uma demonstração irrefutável de que conspira contra o Brasil, de que tem meios sofisticados, estou falando do destino, embora questionáveis, outra vez, usando de sua forma preferível de calar vozes de patriotas, usou da natureza para, em outro acidente aéreo, silenciar definitivamente alguém que tinha nas mãos o futuro de muitos...que sorte desses muitos!!
Dizem que pode-se modificar o destino, também acho, principalmente este que ousadamente conspira contra as leis, contra os princípios morais, esse que destrói todos aqueles que possam atingir cafajestes, corruptos e por aí vai. Mas como modificar esse destino? Essa modificação está nas mãos dos juízes do STF, agora sim, vale o corporativismo, HONRAR o Teori Zavascki, mostrar que ele deixou encaminhada a quase redenção de um país. Não ter medo de outras assassinas ações do destino brasileiro. Juntarem-se, unirem-se em torno de uma memória e, principalmente, não terem medo desse destino, mesmo sabendo de seu instinto assassino. É hora de expurga-lo dos seio nacional.


José João
20/01/2.017

domingo, 8 de janeiro de 2017

O Deus que o homem perdeu

O que mais há de crescer nesse mundo
Que recriaram? As plantas desenhadas,
Quando construídas, não balançam mais ao vento,
São fantasmas eretos, frios, sem alma, sem voz,
Até parecem pontiagudas lanças querendo ferir Deus.
Paredes mudas, pintadas de silêncio onde os sonhos
Morrem afogados na argamassa de frieza de cada um.
Os jardins estão cheios de flores mortas...
Foram plantadas em forma de cruz, em terra seca,
Molhada de lágrimas dos que agora, infelizmente,
Só desenham saudade nos rostos tristes e sem cor.
Por favor, me digam onde posso plantar flores?
Onde posso ouvir os pássaros em gorjeios livres
Cantarem um hino de paz que os homens esqueceram?
Me ensinem outra vez a ouvir o sorriso da criança,
Num inocente gargalhar, sem medo de que amanhã
Ela seja apenas uma semente plantada 
Onde nascerá outra cruz gritando muda, outra dor!
Sonhei com um andarilho batendo de porta em porta,
Mas ninguém lhe recebia, nem lhe ouvia, 
E Ele, cabisbaixo, mudo, com um alforje cheio
De sementes novas, seguia chorando, se perguntando
Em silêncio: Onde foi que Eu errei? Como qualquer
Pai, ao ver o filho perdido ir... a lugar nenhum.

José João
08/01/2.017


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

São Todos Fa...

Supremo Talvez Fosse.  Seria Tão Fácil!
Soberania, Talento, Franqueza.
Sem Traições, Falsidade.  São Todos Falsos,
Sarcásticos, Tendenciosos, Fracos.
São Tão Fanfarrões!  Senhores Tontos Falastrões.
Sabujos, Tribunal Faceta.  
Sacrílegos Trambiqueiros Farsantes.
Seria Tão Fácil!  Ser Talentoso Fenômeno
São Toscos Fâmulos.  Servis. Tétricos Facínoras
Ser Tribunal Falido,  São Todos Fantasias,
São Tranqueiras Fajutas.  Sobras, Tristes Fantoches
Sequiosos Trapalhões Fariseus
Sempre Tentando Falir (a soberania do país)
José João
27/12/2.016


quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Não se sabe mais quem é gente.

Quem paga o preço da morte?
Que importam nomes e países?
Mãos sujas, almas podres nojentas.
Que importam as palavras?
As palavras precisam de alma
E os que as dizem não as tem.
O lixo anda com dois pés,
A cabeça fede, está podre, imunda,
Vermelha, com pontiagudos chifres,
Com olhos de sangue... e a boca...
Só blasfêmias, que saem como lama.
Quem são os reis? Quem matou Deus
No coração da infeliz humanidade?
Imundos, pedaços amorfos, 
Pedaços podres de restos eretos
Que se gritam homens. Tenho nojo.
Os satanases se vestem de gente,
Vomitam maldades, riem da miséria...
Os satanases têm pele de gente,
Boca de gente, nojo de gente...
E... são como gente.
Quem dera eu pudesse dizer
Na minha poesia, não há vagas
Para assassinos mas eles chegam,
Como chegam os ratos, os cupins,
Então não fiz poesia...apenas chorei,
Mas fiz de minhas lágrimas 
Pedras pontiagudas para feri-los,
E que suas feridas não cicatrizem nunca
Sejam eternamente lambidas
Pelos seus próprios diabos.


José João
21/12/2.016


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...